Notícias

Comunicados

Cara limpa contra as drogas e em dia com a saúde

24/07/2019

No último sábado, dia 20 de julho, foi realizado no CREF1 Campo Grande o fórum “De cara limpa contra as drogas”. O debate, que de forma analítica se propôs a discutir o uso de entorpecentes, contou com a participação do candidato a vereador pelo partido PSC Alexandre Duque (representando o deputado estadual Márcio Pacheco), do vice-presidente do CREF1 prof. André Fernandes, da psicóloga Deise Luci Rodrigues Passos e do filósofo Francisco Miranda, atuando como mediador do debate. O evento foi aberto ao público e ouviu a opinião de profissionais de Educação Física e de outras áreas sobre o assunto.

Um dos temas abordados foi a relação entre a neurociência e todos os tipos de drogas. Naturais, sintéticas ou semi-sintéticas, elas podem produzir dependências em seus usuários e tem efeitos nocivos sobre o cérebro. Segundo Francisco Miranda, a Educação Física faz parte do fenômeno humano, “que é matemático, é físico, químico, biológico, filosófico, é religioso, sociológico e antropológico”.

O ponto central da discussão foi a política pública sobre drogas. A partir 2006, o governo federal tentou municipalizar a problemática das drogas, o que deu origem aos Centros de Atenção Psicossociais (CAPs) com intuito de atender e ajudar no tratamento de cidadãos dependentes químicos. As políticas públicas sobre drogas também são importantes para orientar o trabalho de profissionais da Saúde. No dia 15 de maio, o Senado aprovou a PLC 37/2013, que endurece a política nacional antidrogas, facilita internações involuntárias e fortalece as comunidades terapêuticas.

A Psicóloga Deise Luci, que atuou durante 26 anos no Sase Credeq (Centro de Recuperação para Dependentes Químicos), ressaltou a importância do profissional de Educação Física no tratamento de dependência química, visto que muitos internos sofrem os danos causados pela falta da atividade aeróbica e fortalecimento muscular. “Os dependentes são um grupo de pessoas que possuem uma singularidade quanto ao consumo de drogas lícitas e ilícitas, que os fazem desenvolver uma tolerância física e a quererem doses cada vez maiores”.

O fórum abriu espaço para dialogar com a categoria a respeito de seus próprios paradigmas. “O Exercício Físico vai muito além da estética. A prática de atividade física regular é um dos grandes caminhos na questão de minimizar os efeitos de usuários de drogas”, pontuou professor André Fernandes. Muitas vezes, a utilização de drogas começa na infância ou então na adolescência, período em que as pessoas estão em ambiente escolar. A presença de um profissional de Educação Física dentro do ambiente escolar, com uma prática de atividade física mais regular é uma medida social e educativa poderosa no combate as drogas.

De acordo com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) em 2017, 271 milhões de pessoas usaram drogas no ano anterior (2016). É o equivalente a 5,5% da população mundial entre 15 e 64 anos. O dado representa um aumento de 30% com relação ao número de usuários de drogas em 2009, ou seja, nos últimos dez anos.

Outras notícias:

Comunicado

Comunicado – Feriado Carnaval

Fiscalização

Flagrada falsa profissional em academia do município de Queimados

Informes

CREF1 assume cadeira no Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa em Paracambi

Comunicados

Falso profissional é flagrado durante aula de natação no mar no Município de Rio das Ostras

Comunicados

Nota de Falecimento

Fiscalização

CREF1 flagra exercício ilegal em aula de futsal no município de Pinheiral