O Conselho Regional de Educação Física (CREF1) iniciou mais uma edição da blitz nas praias da Baixada Litorânea, que compreende Macaé, Rio das Ostras e a Região dos Lagos. Denominada Operação Bola de Fogo, a ação tem o objetivo de fiscalizar o exercício da profissão e assegurar a presença de profissionais registrados no Conselho e habilitados em Suporte Básico de Vida na orientação e acompanhamento das atividades físicas promovidas na Orla e em suas proximidades.

Nos dois primeiros dias de ação, em Macaé, os fiscais do Conselho flagraram 6 casos de exercício ilegal da profissão nos bairros Centro, Imbetiba e Lagomar, sendo 2 no Jump, 1 no futsal, 1 futebol, 1 CrossFit e 1 no Treinamento Funcional. Além disso, também foram constatados 5 estabelecimentos sem registro de Pessoa Jurídica, 5 locais sem Responsável Técnico nomeado no CREF1, 3 profissionais atuando fora da área de habilitação, 2 estabelecimentos funcionando sem a supervisão de um profissional e 13 profissionais sem Suporte Básico de Vida, exigida pela Lei Estadual 7696/2017 e promovida gratuitamente pelo Conselho.

Flagrante de Exercício Ilegal em Macaé

>>Saiba mais sobre as fiscalizações de 2018

Denominada Operação Bola de Fogo, a ação tem o objetivo de fiscalizar o exercício da profissão e assegurar a presença de profissionais registrados no Conselho e habilitados em Suporte Básico de Vida na orientação e acompanhamento das atividades físicas promovidas na Orla e em suas proximidades.

Somente em 2018, o Departamento de Fiscalização do Conselho Regional de Educação Física flagrou 334 falsos profissionais a frente de atividades físicas, em todo o estado do Rio de Janeiro, no ano de 2018. Do total, 105 casos ocorreram em Musculação, 54 em Treinamento Funcional, 18 em Educação Física Escolar, 15 em CrossFit e 13 em Ginástica Localizada. Os fiscais também detectaram mais de 1,1 mil irregularidades nos estabelecimentos do estado. Somente na Região Metropolitana do estado, foram detectados 232 casos de exercício ilegal, dos quais 22 na Orla.