Resumo

O exercício físico aparece como estratégia de tratamento não farmacológico eficaz, principalmente em doenças cardiometabólicas. Banach et al. (2023) associaram a contagem do número de passos com a mortalidade por todas as causas e mortalidade cardiovascular, foi verificado que um incremento de 1000 passos teve correlação com uma redução de 15% de mortalidade de todas as causas e 7% de mortalidade cardiovascular. Nessa mesma perspectiva, Liutsko et al. (2024) investigaram a frequência de 3 tipos de atividades físicas, AF1 (moderado para alta intensidade com exercícios aeróbicos), AF2 (baixo para moderado com exercícios de força e yoga), AF3 (atividade ao ar livre com esporte coletivo e jardinagem), os resultados mostraram que as AF 1 e 3 foram associadas a melhor saúde, menor IMC e menor consumo de tabaco.

Artigo completo

O exercício físico aparece como estratégia de tratamento não farmacológico eficaz, principalmente em doenças cardiometabólicas. A doença cardiovascular (DCV) é a principal causa de morte em todo o mundo e um grande fardo económico global. A população de baixa renda e países subdesenvolvidos apresentam números significativamente maiores de mortalidade por DCV (Lear et al., 2017)

Uma metanálise publicada no Jornal Europeu de Cardiologia preventiva conduzido por Banach et al. (2023) associou a contagem do número de passos com a mortalidade por todas as causas e mortalidade cardiovascular. Foram incluídos 17 estudos com 227 mil participantes, e foi verificado que um incremento de 1000 passos teve correlação com uma redução de 15% de mortalidade de todas as causas e 7% de mortalidade cardiovascular.

Nessa mesma perspectiva, Liutsko et al. (2024) publicaram no Jornal Europeu de Investigação na Saúde, Psicologia e Educação um estudo retrospectivo (10 anos) e investigaram a frequência de 3 tipos de atividades físicas, AF1 (moderado para alta intensidade com exercícios aeróbicos), AF2 (baixo para moderado com exercícios de força e yoga), AF3 (atividade ao ar livre com esporte coletivo e jardinagem) e a associação com a saúde, estilo de vida, hábitos de consumo, IMC, nível de escolaridade, idade, sexo e número de consultas médicas. Os resultados mostraram que as AF 1 e 3 foram associadas a melhor saúde, menor IMC e menor consumo de tabaco.

Conclui-se que a prática regular de exercícios físicos tem um papel fundamental na prevenção, manutenção da saúde populacional, e na redução de custos financeiros dos sistemas de saúde.

Referências

Liutsko, L.; Leonov, S.;Pashenko, A.; Polikanova, I. Is Frequency of Practice of Different Types of Physical Activity Associated with Health and a Healthy Lifestyle at Different Ages? Eur. J. Investig. Health Psychol. Educ. 2024, 14, 256–271. https://doi.org/10.3390/ejihpe14010017

Banach M, Lewek J, Surma S, Penson PE, Sahebkar A, Martin SS, Bajraktari G, Henein MY, Reiner Ž, Bielecka-Dąbrowa A, Bytyçi I. The association between daily step count and all-cause and cardiovascular mortality: a meta-analysis. Eur J Prev Cardiol. 2023 Dec 21;30(18):1975-1985. https://doi.org/10.1093/eurjpc/zwad229

Lear SA, Hu W, Rangarajan S, Gasevic D, Leong D, Iqbal R, Casanova A, Swaminathan S, Anjana RM, Kumar R, Rosengren A, Wei L, Yang W, Chuangshi W, Huaxing L, Nair S, Diaz R, Swidon H, Gupta R, Mohammadifard N, Lopez-Jaramillo P, Oguz A, Zatonska K, Seron P, Avezum A, Poirier P, Teo K, Yusuf S. The effect of physical activity on mortality and cardiovascular disease in 130 000 people from 17 high-income, middle-income, and low-income countries: the PURE study. Lancet. 2017 Dec 16;390(10113):2643-2654. doi: 10.1016/S0140-6736(17)31634-3.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *